Back

ⓘ Fujiwara no Nakanari




                                     

ⓘ Fujiwara no Nakanari

Fujiwara no Nakanari?) foi um nobre do período Nara da história do Japão. Foi o filho mais velho do chūnagon Fujiwara no Tanetsugu do Ramo Shikike do Clã Fujiwara. Foi sangi no reinado do Imperador Heizei.

                                     

1. Vida

Em 785, quando seu pai, Tanetsugu foi assassinado, Nakanari recebeu o título de Jū go i ge 従五位下, oficial júnior de quinto escalão? apesar da sua juventude. Na corte de Kanmu, ocupou vários cargos regionais, bem como posições na guarda imperial e no Daijō-kan. Foi promovido três vezes, culminando com o posto de Jū shi i ge 従四位下, oficial júnior de quarto escalão? em 801.

Na corte do imperador Heizei, sua irmã mais nova Kusuko se tornou a preferida do Imperador, e Nakanari aproveitou do fato para angariar maior poder político. Mas apesar disso, suas ações traiçoeiras e arbitrárias acabaram tornando-o impopular. Se envolveu no Incidente do Príncipe Iyo de 807, em que o irmão mais novo de Heizei, o príncipe Iyo foi acusado de liderar uma conspiração que terminou com o seu suicídio, após o qual Nakanari foi promovido a posições mais importantes. Em 809 foi nomeado Kansatsu-shi 観察使, Kansatsu-shi? de Hokurikudō, uma posição equivalente a de sangi, juntando-se assim as fileiras do kugyō.

Mais tarde nesse ano, Heizei abdicou do trono em favor de seu irmão mais novo, o Imperador Saga. Nakanari e Kusuko, temendo a perda de sua influência política, mudaram-se com Heizei para Heijō-kyō e planejaram retomar o trono, encorajando Heizei a criar uma Corte adversária a de Saga, fato que ficou conhecido como o Incidente Kusuko. Em 810, Saga eliminou o Sistema Kansatsu-shi criado por Heizei. Heizei ordenou que a sede da capital deveria retornar para Heijō-kyō no outono, as relações entre as duas Cortes pioraram ainda mais. Saga decidiu vetar a mudança da capital. Quatro dias após a proposta da Heizei, enviou delegados para as províncias de Ise, Omi, e Mino ordenando-lhes para fechar suas fronteiras. Alguns dias mais tarde Nakanari foi capturado. Foi preso e rebaixado a Kokushi governador provisório de Sado, para que no dia seguinte pudesse ser fuzilado por Ki no Kiyonari 紀清成 e Sumiyoshi no Toyotsugu 住吉豊継. Kusuko morreu envenenada, Heizei fez a tonsura se tornou um Bhikkhu monge budista.

A execução de Nakanari foi considerada a última realizada pela Corte até a Rebelião Hōgen de 1156. No entanto, de acordo com o estudioso Masataka Uwayokote. como o método de execução utilizado não seguiu as opções definidas no Código Yōrō: decapitação ou estrangulamento, e como aconteceu depois que Nakanari foi oficialmente rebaixado, esta execução seria uma ordem pessoal do Imperador, ao invés de uma execução formal sob o ritsuryō.