Back

ⓘ Movimento Democrático de Libertação de Portugal




                                     

ⓘ Movimento Democrático de Libertação de Portugal

O Movimento Democrático de Libertação de Portugal, formalmente constituído em 5 de maio de 1975, foi um movimento político com ligações à igreja católica constituído contra a crescente influência do Partido Comunista Português e dos vários grupos de esquerda, influência essa que se fazia sentir à margem da ainda frágil democracia. Foi criado após a Intentona de 11 de Março de 1975.

O MDLP foi liderado, a partir do Brasil, pelo General António de Spínola, mas toda a sua estrutura encontrava-se sediada em Madrid. Essa estrutura assentava num Gabinete Político, que assegurava a liderança política do movimento, dirigido por Fernando Pacheco de Amorim reportando directamente ao General António de Spínola e integrado, entre outros, por António Marques Bessa, Diogo Velez Mouta Pacheco de Amorim, José Miguel Júdice e Luís Sá Cunha. A estrutura militar era liderada pelo Coronel Dias de Lima, Chefe do Estado Maior, também ele reportando directamente ao General António de Spínola e subdividia-se em dois braços, a RAI - Rede de Acção Interna, liderada por Alexandre Negrão e as FAE - Forças de Acção Externa, estas lideradas por Alpoim Calvão. Ambos Alexandre Negrão e Alpoim Calvão reportavam directamente a Dias de Lima. O MDLP terá tido um papel relevante na preparação do campo para o êxito do 25 de Novembro anos quentes que se seguiram à Revolução de 25 de Abril de 1974 em Portugal.

Na noite de 4 de Outubro de 1975, forças do Regimento de Infantaria de Braga fizeram um cerco ao Seminário de São Tiago, da mesma cidade, em Braga, e com isso conseguiram capturar o major Mira Godinho e o major-tenente Benjamim de Abreu, desta organização, mas Alpoim Galvão consegue escapar no telhado.

Alguns membros do MDLP foram suspeitos de vários atentados bombistas que resultaram na morte de múltiplos inocentes e foram presos pela Polícia Judiciária.

                                     

1. Cronologia

  • 1976, 29 de abril - Spinola suspendeu as actividades do MDLP
  • 1975, 11 de março - alegada tentativa de golpe de estado por militares spinolistas
  • 1975, 5 de maio - constituição oficial e formal do MDLP
  • 1975, 25 de novembro - A reposição da democracia plena leva à desmobilização do MDLP
  • 1975, 20 de março - exílio do general António de Spínola
  • 1976 - regresso do exílio do general Spínola, preso ainda no aeroporto
  • 1975, 17 de fevereiro - ensaio de golpe palaciano em colaboração com a guarda do Palácio de Belém
                                     

2. Ligações externas

  • A cruzada branca contra comunistas e seus lacaios - artigo de Fernando Madaíl, Diário de Notícias, 17 Agosto 2005
  • Movimento Democrático de Libertação de Portugal, por JPP, Ephemera, 12/07/2015
  • Cronologia das organizações de direita - Centro de Documentação 25 de Abril UC
  • Cronologia - A Revolução Portuguesa de 25 de Abril - Centro de Documentação 25 de Abril UC